mouse-m7-pro-fortrek
Avaliação:

O Fortrek PRO M7 é confortável, possui uma iluminação bem completa, todos botões programáveis e um desempenho excepcional pelo preço. É um dos melhores mouses gamer por menos de R$ 50 vendido no Brasil.

Obviamente, não se pode esperar que ele esteja no mesmo nível de um mouse para e-sports profissional, mas o Fortrek M7 está no mesmo nível dos produtos de marcas bem estabelecidas como Corsair e Logitech.

Um ponto negativo a ser observado é que ele é um pouco menor que a maioria dos mouses lançados nos últimos anos. Se você tem mãos pequenas, é melhor olhar bem o tamanho dele na ficha técnica abaixo e comparar com seu mouse atual.

Pontos positivos ✓

  • Ótimo desempenho
  • RGB facilmente personalizável
  • 7 botões programáveis
  • Switches com vida útil de até 10 milhões de cliques

Pontos negativos ✗

  • Mais pesado do que os concorrentes
  • Um pouco pequeno

Ficha técnica do Fortrek Pro M7

  • Tamanho: 125mm x 57mm x 38mm
  • Peso: 200 gramas
  • DPI: 250 – 4800 DPI
  • Conexão: Com fio (1,8 metros)
  • Número de botões: 6 + scroll
  • Sensor: A714 Instan
  • Software próprio: Sim
  • RGB personalizável: Sim

Ergonomia e conforto

O Fortrek M7 tem um design destro e é um pouco menor do que a maioria dos mouses gamers que eu já testei, mas não o suficiente para ser um mouse portátil. O arco na parte de trás é bem suave e torna seu uso mais confortável em comparação com mouses mais planos.

Ele é bem confortável para pegada claw e fingertip, mas quem usa a pegada palm pode achá-lo pequeno.

Se você tem mãos particularmente grandes ou usa a pegada palm, é melhor levar as medidas em consideração, uma vez que esse mouse é relativamente pequeno, com dimensões de 12,5cm de comprimento por 5,7cm de largura.

Visão geral do Fortrek Pro M7

Eu uso a empunhadura fingertip naturalmente e as dimensões do mouse não me atrapalharam, e ao utilizar a pegada claw também não senti nenhum desconforto. Por ser um mouse mais compacto, é provável que a empunhadura estilo palm não funcione tão bem.

O corpo do mouse é feito inteiramente de plástico ABS e o cabo é trançado, nada de mais aqui. O scroll é feito de silicone, e as laterais têm uma textura ligeiramente granulada que oferece aderência extra.

Peso

Com um peso de 200 gramas, o mouse é bem pesado levando em conta que os mouses atuais tem focado bastante na leveza, mas está dentro do padrão da época que foi lançado. Se você não joga FPS competitivamente, o peso não deve te afetar.

Por conta do peso, não tem como indicar o Pro M7 para FPS competitivo, mas esse fator não afeta outros tipos de jogos.

Assim como outros mouses da Fortrek, o M7 tem um peso interno de cerca de 20 gramas. Ele não serve pra nada e eu não entendo o motivo dele estar lá. Você precisa abrir o mouse para retirá-lo, o que não é indicado durante o período de garantia.

Mesmo se você estiver disposto abrir o mouse, a redução no peso não é significativa e não vai torná-lo um mouse adequado para jogos de tiro no nível competitivo. Mesmo assim seria melhor se esse peso não estivesse lá.

Desempenho

O desempenho do Fortrek M7 é muito melhor do que eu espero em um mouse de R$ 50, apesar de também não ser indicado para jogos a nível competitivo. Ele não foi projetado para favorecer um gênero específico e lidou muito bem com os jogos que eu testei (Overwatch 2, Elden Ring e Hitman 3).

Seus botões são responsivos, o sensor é preciso e a personalização de DPI e macros o tornam bem versátil. Ele vai funcionar bem com qualquer gênero de jogo. O mouse também é bem sólido e não faz estalos ou rangidos ao ser manuseado.

Esse mouse da Fortrek tem uma boa construção e muitas pessoas confirmaram que ele pode facilmente durar mais de 5 anos de uso diário.

Os botões utilizam microswitches Huano com vida útil de até 10 milhões de cliques. Os switches Huano têm uma boa reputação tanto em teclados mecânicos quanto mouses, sendo comparável as marcas mais reconhecidas nesse segmento como Kailh e Gateron.

Detalhes da roda e dos botões de DPI.

Os botões são bem barulhentos, mas isso também está dentro do padrão para mouses gamers. Eles possuem um feedback tátil bem claro e um acionamento moderado.

Usando o software, que será analisado mais profundamente abaixo, você pode selecionar os incrementos do DPI, a taxa de atualização (entre 125hz e 1000hz) e reprogramar os botões principais e os dois botões laterais extras.

Sensor

O sensor usado pelo M7 não é muito conhecido. O A714 Instan é um sensor de mouse óptico com CMOS de chip único e é usado por alguns mouses de baixo custo. Ele funciona muito bem no mouse da Fortrek e não senti nenhum tipo de atraso ou imprecisão durante as partidas.

Ele suporta resolução de DPI de seis níveis, luz de fundo de LED de três cores e teclas multifuncionais adicionais. O DPI máximo que pode ser definido quando o driver é ativado é 4800 DPI. Explicamos essa parte melhor na seção de Software abaixo.

Confira também: Análise do Redragon M808 Storm e Análise do Fortrek Crusader.

Iluminação

As luzes RGB do Fortrek M7 podem ser alteradas para cores personalizadas e possui alguns padrões de iluminação. Só não espere muitas opções ou uma personalização hiper detalhista que você encontra em um Razer Chroma da vida.

O software permite escolher dois tipos de movimentos, uma cor sólida estática e também permite desligar a iluminação completamente. Você pode escolher o tempo de exibição de cada cor, apesar dessa função ser um pouco menos intuitiva.

A iluminação RGB cobre as linhas na lateral, o logo e a roda.

Não há uma opção para ajustar o brilho das luzes, mas se você personalizar a cor e simplesmente arrastar o controle deslizante preto/branco para o lado preto (por exemplo, selecionar vermelho e torná-lo totalmente escuro), o mouse ainda exibirá a cor escolhida, mas com menos intensidade.

Se luzes piscantes não forem do seu agrado, você tem a opção de desligar a iluminação RGB completamente, tanto pelo programa quanto ao apertar o botão DPI por alguns segundos. Também pode definir o padrão RGB do jeito que quiser e depois fechar o programa,

Software e personalização

O programa de personalização da Fortrek está disponível para download nessa página oficial, é só procurar pelo M7 e clicar em “driver” (tecnicamente não é um driver, mas a Fortrek decidiu chamar assim por algum motivo).

O software é em português e é bem simples. Infelizmente não é possível salvar perfis internamente no mouse, o que é de se esperar nessa faixa de preço, mas você pode salvar perfis no PC ou notebook e importá-los facilmente.

Usando o software, você pode alterar a função de cada um dos botões, incluindo os botões de abaixar ou aumentar o DPI e a roda central. Alguns mouses não permitem modificar esses botões principais, mas o M7 permite.

Há várias opções pré-programadas que você pode escolher, ou você pode simplesmente criar seu próprio macro personalizado para que ele realize as ações que preferir. Eu achei a criação de macros bem intuitiva, mas não tanto quanto a de softwares mais famosos como o Synapse.

Screenshot do software da Fortrek.

Você só precisa do software se quiser desligar os LEDs, programar os botões extras e realizar outros ajustes. O Fortrek M7 é plug-and-play e as alterações de DPI podem ser feitas pelo próprio mouse, utilizando os botões dedicados com as configurações de fábrica.

Também não é necessário ter o software em execução o tempo todo, como fazem alguns outros mouses programáveis. É possível executá-lo, programar o mouse e fechar o software para reduzir o desperdício de recursos do sistema.

Esse software é compatível apenas com Windows, mas o mouse funciona utilizando o driver padrão em Macs e no Linux, apenas não pode ser personalizado.

Software alternativo

Assim como a maioria dos mouses baratos, o Fortrek M7 é uma remarcação de um mouse produzido na China, especificamente o Fantech X9 Thor. O software de personalização da Fantech se chama “Personalization+” e funciona perfeitamente com o Fortrek M7.

Ao fazer o download do software no site da Fantech (basta navegar até o meio da página e clicar no botão branco escrito “Download”, o arquivo não pesa muito), você tem exatamente as mesmas opções que eu descrevi acima, sem tirar nem por.

O software da Fantech funciona com o M7, mas é a mesmíssima coisa que o da Fortrek.

O layout é ligeiramente diferente e ele não está disponível em português, então eu não recomendo utilizá-lo a não ser que você tenha algum problema com a versão da Fortrek.

Diferenciais

Normalmente um mouse nessa faixa de preço não oferece muitas opções de personalização. O Fortrek M7 oferece uma boa customização, com todos os botões sendo programáveis e um ajuste de DPI que permite uma utilização com qualquer jogo, dos que requerem mais precisão até os que favorecem rapidez.

Além de permitir um bom ajuste estético com os detalhes RGB, o M7 permite programar macros com bastante facilidade. Os sete botões programáveis permitem personalizar o mouse de acordo com suas necessidades.

Na configuração padrão, os botões avançam e voltam, mas você pode redefini-los para realizar outras funções. No geral, o Fortrek M7 oferece alto desempenho a um preço bastante acessível mesmo em comparação com outros mouses na faixa de preço superior.

O Fortrek M7 vale a pena?

Para a maioria dos gamers, sim. O M7 é um mouse versátil e muito bem projetado.

Prós

  • Ótimo desempenho
  • RGB facilmente personalizável
  • 7 botões programáveis
  • Switches com vida útil de até 10 milhões de cliques

Contras

  • Mais pesado do que os concorrentes
  • Um pouco pequeno

O mouse Fortrek M7 é bom?

Sim. O Fortrek M7 prova que um mouse barato pode ter um bom desempenho e personalização, e que com poucas exceções, os mouses gamers modernos são superfaturados. Custando menos de R$ 50, este mouse é uma escolha imbatível nessa faixa de preço.

Em suma, eu realmente recomendo este mouse. Se você tem um orçamento limitado ou quer um mouse pequeno e que funcione bem para qualquer gênero, o M7 é uma boa escolha. Ele pode ser programado facilmente e é relativamente bem construído.

Na parte negativa, ele é um tanto pequeno e pode ser difícil de usar para quem usa a pegada claw. Também é um pouco mais pesado que os lançamentos recentes, que focam muito nesse quesito por conta da vantagem que mouses leves levam em FPS.

Se você acha mouses pequenosdesconfortáveis, o Fortrek Pro M3 é praticamente uma cópia do M7 só que mais extenso e largo e com um sensor tecnicamente melhor, mas que na prática tem basicamente a mesma performance.

E se você precisa de um mouse mais preciso e que funcione para e-sports, o Cobra M711 FPS é a melhor opção intermediária, junto com o HyperX Core da Corsair — se você estiver disposto a pagar mais.

Avaliação:

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *