mouse-cobra-m711-fps
Avaliação:

O Redragon King Cobra M711 FPS é um mouse altamente personalizável e com um ótimo sensor por um preço baixo. Apesar do “FPS” no nome, ele é bem versátil e não foi projetado especificamente para esse gênero.

O mouse Cobra M711 FPS é uma versão atualizada do antigo Cobra M711. Embora o formato ergonômico e a iluminação RGB não tenha mudado, o sensor foi atualizado para o modelo PMW3360, que é um dos sensores ópticos de primeira linha da PixArt.

O Cobra M711 FPS também vem com switches ópticos nos botões principais. É muito raro ver interruptores ópticos na faixa de preço do Cobra M711 FPS, e essa uma grata surpresa torna o mouse mais durável.

A Redragon exagerou na interpolação de DPI, mas será que isso pode atrapalhar suas partidas? Leia minha análise completa para descobrir se realmente vale a pena investir nesse mouse.

Pontos positivos ✓

  • Sensor com ótimo desempenho
  • Memória interna para 5 perfis
  • Switch óptico de alta durabilidade
  • Leve e confortável

Pontos negativos ✗

  • Interpolação de DPI imprecisa
  • Botões laterais de menor qualidade

Sumário

Ficha técnica do King Cobra M711 FPS

  • Tamanho: 193mm x 121mm x 48m
  • Peso: 99 gramas
  • DPI: 100 – 12000 DPI (interpolado até 24000 DPI)
  • Conexão: Com fio (1,8 metros)
  • Número de botões: 8 + scroll
  • Sensor: PixArt PMW3360
  • Software próprio: Sim
  • RGB personalizável: Sim

Conforto e ergonomia

A qualidade de construção do M711 FPS é bem sólida. Dá para ouvir um leve ruído ao sacudir o mouse mas não dá para sentir nenhum estalo ou rangido ao apertá-lo.

O Cobra M711 FPS tem um revestimento fosco na parte superior e plástico ABS texturizado não revestido nas laterais. Ele é bastante aderente e não parece que vai esfarelar com o tempo como acontece com revestimentos de borracha. Ele tem uma aparência bem elegante e você pode deixar o RGB mais discreto, se preferir.

Visão geral do Cobra M711 FPS.

Os botões principais são mais silenciosos e possuem um acionamento mais leve do que na maioria dos mouses gamers que eu já testei, vamos falar mais deles numa sessão abaixo. Os botões laterais são um pouco mais resistentes, o que é bom para evitar um acionamento acidental.

Esse é um mouse bem leve, especialmente considerando o seu tamanho. O baixo peso e sensor de qualidade o torna uma opção viável para partidas competitivas de jogos de tiro. Dentro do mouse ainda há um peso removível de 15 gramas, se você quiser deixá-lo ainda menos pesado.

O Cobra M711 FPS tem um cabo trançado padrão e um USB banhado a ouro, nada que chame a atenção. Quanto aos estilos de empunhadura, eu diria que o Cobra M711 FPS pode ser usado perfeitamente com os três principais estilos (claw/garra, palm/palma e fingertip).

O mouse M711 FPS é grande e possui uma saliência pronunciada, o que deve torná-lo adequado para a maioria dos tamanhos de mão. Em muitos aspectos, o Cobra M711 FPS tem um formato ergonômico típico para destros, mas há algumas diferenças importantes.

Para começar, embora o lado esquerdo seja elevado, ele não é tão elevado quanto em muitos outros designs ergonômicos. A frente e a parte de trás se alargam um pouco em relação ao meio, mas, mesmo assim, o Cobra M711 FPS tem um formato um tanto fino.

O cabo trançado e a conexão USB banhada a ouro.

Para mim, essas pequenas diferenças o tornam um dos mouses gamers mais confortáveis que eu já testei, perdendo apenas para alguns mouses de escritório ergonômicos.

A maioria dos mouses gamers mais baratos apresenta um design ambidestro que dificilmente funciona bem para qualquer uma das mãos. Acho muito positivo que a Redragon tenha projetado o M711 FPS focando na ergonomia em vez de tentar atingir todos os mercados de uma só vez.

Modificações

A desmontagem do Cobra M711 FPS é muito simples, o que é importante para um mouse nessa faixa de preço, que você provavelmente quer que dure muitos anos. Basta remover os pés do mouse, retirar os cinco parafusos e separar as partes superior e inferior.

O revestimento superior consiste em duas camadas, uma das quais é translúcida. Tudo fica em uma única placa de circuito impresso, exceto os botões laterais e superiores, que têm sua própria placa de circuito impresso parafusada no revestimento superior e conectada à placa de circuito impresso principal por meio de um conector JST de 6 pinos.

Apesar disso não ser muito interessante para a maioria dos usuários, é sempre bom ter uma manutenção simples. Você vai precisar abrir o mouse se quiser remover o peso adicional de 15 gramas.

Hardware

Os botões principais do King Cobra M711 FPS foram muito bem projetados. O pré-deslocamento é baixo e o pós-deslocamento é ainda mais baixo, o que resulta em uma sensação de clique firme e satisfatória, sem ser barulhenta. A rigidez do botão é bem leve. Ele utiliza switches ópticos LK da empresa Bloody.

Os botões laterais são mais resistentes e ruidosos, mas dentro dos padrões de um mouse gamer. O ponto de pressão não é uniforme, o que resulta em uma sensação um tanto instável ou “mole” na hora de pressioná-los. Não atrapalha mas poderia ser melhor pelo preço cobrado.

O tamanho e o posicionamento dos botões laterais foram perfeitos, é possível acioná-los facilmente passando o polegar sobre eles sem medo de pressioná-los sem querer. O botão lateral de avançar é texturizado para facilitar a distinção entre os dois.

Botões centrais de ajuste de DPI e para alternar entre os modos de iluminação.

Na parte superior do mouse, há dois botões para alternar entre os níveis de DPI e um botão para alternar entre os modos de iluminação. A sensação do clique é boa. Switches Huano são usados aqui.

Na parte inferior do mouse, há um botão dedicado para alternar entre os perfis salvos na memória interna do mouse. Isso significa que você pode trocar de PC e manter todas as personalizações intactas sem precisar baixar o software da Redragon.

O scroll é muito bom. A rolagem para cima ou para baixo não produz nenhum ruído e o clique central é bem firme e estável. A separação de linhas é bem sutil, mas mais uma vez ela está na média de outros mouses gamers.

Sensor

Como dito acima, o Cobra M711 FPS usa switches ópticos nos botões principais em vez dos interruptores mecânicos comuns. Os interruptores ópticos eliminam os problemas de clique duplo e duram mais tempo.

A Razer fez bastante barulho ao lançar alguns mouses com switches ópticos, então é interessante ver marcas alternativas fazendo o mesmo sem cobrar tão caro.

O Redragon Cobra M711 FPS está equipado com o famoso sensor PixArt PMW3360. De acordo com as especificações, o PMW3360 tem capacidade para até 12000 DPI, bem como uma velocidade máxima de rastreamento de 250 IPS, o que equivale a 6,35 m/s.

Esse é um sensor bem conhecido (talvez o mais conhecido de todos) e você já deve ter ouvido falar sobre ele, resumidamente ele é muito preciso e rápido. Mouses mais caros e de marcas mais tradicionais o utilizam ostensivamente, incluindo em modelos voltados para e-sports.

Você pode modificar as etapas de DPI e ajustá-las a qualquer momento.

Na pré-configuração de fábrica, estão disponíveis cinco etapas de DPI: 1000, 2000, 4000, 8000 e 12000 DPI. Obviamente você pode facilmente modificar essas etapas usando o software da Redragon, que será avaliado na próxima seção.

Apesar do DPI máximo do sensor ser de 12000, o Cobra M711 tem capacidade para até 24000 DPI, que é obtido com o uso de interpolação. Apesar dessa técnica fazer sentido em alguns casos, no M711 FPS ela só torna o mouse muito menos preciso a partir do 12000 DPI.

Essa falta de precisão fica cada vez maior no intervalo entre 12000 até 24000, você vai ver o ponteiro literalmente pulando pela tela no DPI máximo, é praticamente inutilizável.

Isso claramente foi incluído por conta do fenômeno “quanto maior o número, melhor”, o que claramente não é verdade no caso do DPI, onde um número menor pode até ser mais vantajoso em certos gêneros.

Com isto dito, o Cobra M711 FPS é perfeitamente preciso até o DPI de 12000, não perdendo em nada para mouses mais caros. Só não vá acima desse número.

Confira também: Análise do Mouse Ultra-Leve Vinik VX Void e Análise do Mouse Havit MS1001.

Software

O software de personalização da Redragon pode ser baixado pelo site oficial da marca, caso o seu mouse não tenha o mini CD de instalação incluso. Ele não está disponível em português, mas a navegação é bem intuitiva.

No meu PC, o software da Redragon ocupa em média 10 MB de RAM quando colocado em primeiro plano e 5 MB de RAM quando minimizado.

A primeira página contém a função de remapeamento dos oito botões programáveis, ajuste da taxa de sondagem/polling rate (125/250/500/1000 Hz) e as configurações básicas de ponteiro do Windows.

O software de personalização do Cobra M711 FPS é surpreendentemente leve.

Eu já disse em outros artigos que não faz sentido nenhum diminuir o polling rate em mouses com fio. Deixe no 1000 Hz para obter o melhor desempenho do Cobra M711 FPS e vá personalizar outras funções que realmente importam, como DPI e macros.

Na parte de remapeamento ou programação de macros, oito dos nove botões são personalizáveis. Apenas o botão dedicado a troca de perfis na parte de baixo não pode ter outra função definida.

A segunda página inclui a configuração dos cinco níveis de DPI, em incrementos de cem, cinco perfis que ficam salvos na memória interna do mouse e a opção de ajustar os eixos X e Y de forma independente. Por fim, a terceira página contém as opções de iluminação.

No geral acho que o programa da Redragon funciona muito bem e é mais leve do que outros softwares de personalização que eu já testei. Todas as funções são bem intuitivas, até os macros, mesmo que ele ofereça menos opções do que alguns concorrentes.

O software da Redragon só funciona no Windows. O mouse funciona na configuração de fábrica no MacOS e no Linux, mas você pode modificar os perfis no Windows e deixá-los salvos na memória interna, as modificações funcionaram nos outros sistemas operacionais.

Iluminação

O Cobra M711 FPS tem três zonas não independentes de iluminação RGB no total, que são a roda de rolagem, o logotipo e a faixa de LEDs que pega toda a lateral do mouse. Por meio do software, é possível selecionar entre sete efeitos de iluminação predefinidos disponíveis.

O fato do mouse não ter zonas de iluminação independentes é estranho, já testei muitos modelos que custam muito menos e que possuem zonas individuais. Não é um problema sério, mas pelo preço esse detalhe podia estar incluso.

Faixa lateral iluminada do Cobra M711 FPS, note que o logo e o scroll herdam a cor da faixa.

A Redragon promete mais de 16 milhões de cores para escolher em várias combinações. São sete modos de iluminação pré-configurados, como o modo “ondas” e “reativo”. Esse modo reativo muda a cor do mouse a cada movimento, algumas vexes ele não detectou o meu movimento mas no geral ele cria um efeito interessante.

As opções de personalização funcionam bem, como mudar o tempo de cada cor dentro de cada modo ou modificar o brilho da iluminação, deixando o mouse mais chamativo ou mais discreto.

Obviamente, também é possível desativar totalmente a iluminação pelo programa ou apertando o botão dedicado no centro do mouse por alguns segundos.

O mouse Cobra M711 FPS vale a pena?

O Redragon Cobra M711 FPS tem um preço muito competitivo e um bom desempenho geral. O seu ponto forte está no conforto e no sensor de alto nível, enquanto alguns detalhes como o acionamento dos botões laterais e a interpolação de DPI inútil pesam um pouco.

Prós

  • Sensor com ótimo desempenho
  • Memória interna para 5 perfis
  • Switch óptico de alta durabilidade
  • Leve e confortável

Contras

  • Interpolação de DPI imprecisa
  • Botões laterais de menor qualidade

O Redragon Cobra M711 FPS é bom?

O Redragon Cobra M711 FPS tem um desempenho incrível, desde que você não ultrapasse a DPI de 12000. A interpolação de DPI torna o mouse impreciso e realmente não deveria estar presente, mas é só não ultrapassar o limite de 12000 para evitar esse problema.

O sensor PMW3360 tem uma ótima performance e o mouse é leve o suficiente para ser usado no nível competitivo. Definitivamente não está entre os melhores mouses gamers profissionais, mas é uma opção para quem está começando ou para quem dedica muito tempo ao hobby.

A iluminação RGB é bastante rica e variada, com muitas opções de personalização e presets interessantes. Infelizmente as zonas iluminadas não possuem separação, o que o coloca em nível abaixo de outros mouses nessa faixa de preço no quesito RGB.

Falando nisso, o software é leve e funcional, dá para ajustar quase tudo as suas preferências e o que você está jogando no momento. Por fim, a qualidade de construção é boa em sua maior parte, mas eu gostaria que os botões laterais tivessem um acionamento uniforme.

O Cobra M711 FPS não tem muita concorrência quando se trata de mouses ergonômicos para destros, ao contrário das opções “ambidestras” que costumam oferecer pouco suporte para qualquer uma das mãos.

Alternativas

O segundo mouse mais popular da marca é o Redragon M808 Storm, mas para ser perfeitamente honesto, não existem muitos motivos para considerá-lo uma alternativa ao M711 FPS. O M808 Storm é menos confortável, tem uma interpolação de DPI que o torna inviável após o nível 6200 e um peso quase igual ao do M711 — mesmo sendo vendido como um mouse ultralight.

O concorrente direto do M711 FPS seria o Corsair HyperX Core, um dos mouses intermediários mais vendidos no mundo. Ele é pouco mais leve e tem um sensor um pouco mais preciso, enquanto tem um RGB mais simples e é um pouco menos confortável. É um diferença pequena e os dois tem um desempenho no mundo real bem similar.

Na faixa de preço mais barata, o Pro M7 e o Pro M3 da Fortrek são as opções mais óbvias. Não têm o mesmo nível de desempenho do M711, mas custam significativamente menos e possuem um bom nível de personalização e um sensor eficiente para partidas casuais.

Avaliação:

Posts Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *